Antes e depois: Refúgio feminino

Faltava espaço e luz no quarto da leitora paulistana. Móveis reformados, iluminação planejada e cores transformaram o ambiente por completo.

Moradora de um apartamentos de 50m² no bairro do Jaraguá, em São Paulo, a funcionária pública Fernanda Vieira Fernandes se deparou há um ano e meio com a chance de virar proprietária do imóvel que alugava. Realizou seu maior sonho por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, investindo todos os seus recursos na compra. “Sobrou pouco para a decoração. Consegui pintar as paredes graças à ajuda de amigos”, conta. Mas nada incomodava mais do que o quarto escuro e abarrotado. “Fui empilhando caixas na estante que tampava parte da única janela.”A arquiteta Beatriz Fujinaka promoveu a reformulação do espaço: os móveis ganharam cor nova após dez anos de uso e tons delicados se espalharam em paredes, enxoval e objetos decorativos. A cama foi realocada, solução que garantiu confortáveis entímetros extras para o módulo suspenso que faz as vezes de criado-mudo. Futons, espelho, ps painéis brancos da cortina e o tapete fofo incrementaram ainda mais o visual! “É um estilo romântico com toques de bom humor”, resume a arquiteta.

“Nem consigo lembrar como era meu antigo quarto. Ficou tão aconchegante!” – Fernanda, moradora

> O ambiente era escuro,com apenas uma lâmpada no meio do teto. Beatriz planejou uma iluminação bem cuidada, que inclui abajur para leitura, plafon com três lâmpadas incandescentes e um segredinho sob cortineiro: “Instalamos uma mangueira de luz amarela no MDF, usando presilhas de silicone parafusadas”.

Raio X do projeto

> Havia a missão de ganhar espaço. A grande sacada foi mover a cama para debaixo da janela e encostá-la na parede lateral. Assim, conquistou-se boa área de circulação nos 8,10 m².

Lilás, verde e branco

> Para multiplicar a claridade, a arquiteta sugeriu a paleta de cores suaves. Duas paredes ganharam papel verde-claro, enquanto as demais e o teto foram tingidos de branco, cor que se repete nos móveis. O lilás comparece nos detalhes.

> A cama de casal e o guarda-roupa foram reaproveitados: receberam fundo nivelador e dupla coberta de tinta.

> Uma placa branca de MDF de 9mm foi cortada para formar rodapé, cortineiro e rodateto (10 cm de altura). Já o extenso (2,60 x 0,95 m) atrás da cama e o módulo (89 x 37 x 30 cm*) nele fixado são feitos de chapa de 18 mm.

>Um tapete disfarçou o piso escuro. “É uma delícia sentir a textura ao acordar”, conta a moradora.

Ousadia bem pensada: espelho e prateleira tamanho G

> No passado, o espelho ficava pendurado atrás da porta de entrada. Com mais espaço na lateral da cama, a nova peça, com 1,60 m de altura, foi colocada diretamente sobre o piso.”É um jeito descolado de usá-lo”, recomenda Beatriz.

> O armário ficou irreconhecível com tinta branca e charmosos puxadores de porcelana. Acima dele, aparece o curinga da organização: uma placa de MDF (2,60 x 0,50 m) que vai de um lado a outro do quarto. A longa prateleira acomoda nada menos que oito caixas. “É o fim da bagunça!”, comemora Fernanda.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s