Bar, doce bar

No botequim ideal, seus drinques, sucos e petiscos favoritos estão sempre no cardápio, e seus amigos têm lugar reservado. Se um estabelecimento assim não existe, que tal montá-lo em casa?

Quando Cristiane e Leandro Hartmann, acompanhados das cachorras Nany (no colo) e Zaira, trocaram um pequeno apartamento pelo sobrado de 155 m², festejaram o fato de, enfim, poderem desfrutar de um quintal. Para completar as boas- -novas, o cantinho do churrasco estava tinindo, apesar de o imóvel ser quarentão. “O ambiente havia sido reformado recentemente pelos antigos moradores”, conta Cristiane. Porém, certa de que o que já é bom pode ser melhorado, a profissional de marketing deixou aflorar seu entusiasmo por design de interiores e – em apenas 15 dias –, valendo-se de recursos simples e criativos e da providencial ajuda do pai, customizou o local, deixando-o descontraído e cheio de personalidade, com ares de boteco particular. A clientela, formada por amigos e familiares, não só frequenta como também chega a perguntar se o espaço pode ser alugado para festas. Isso que é empreendimento de sucesso!

Repaginação em conta aproveita as sobras e pechinchas

❚ Cristiane elegeu a textura grafiato na cor terracota para as paredes. E nem precisou contratar mão de obra – seu pai, o pintor e eletricista José Borges Alves, se encarregou da aplicação. 

❚ Seu Zé fez outra contribuição importante: deu a dica de um freezer em bom estado. A filha arrematou o aparelho branco e o cobriu com adesivo vinílico preto. Além de conferir um ar moderno à peça, o truque permite que a porta e as laterais sirvam de lousa. 

❚ Um módulo que restou após a troca dos armários da cozinha também ganhou roupa nova e foi convertido em gabinete de pia no boteco. 

❚ Da reforma da cozinha veio, ainda, a sobra de pastilhas de vidro roxas (2,3 x 2,3 cm, da Colormix), dispostas em uma faixa acima da bancada. 

❚ O arranjo na parede ajuda a criar o clima boêmio – uma antiga propaganda de cerveja, o emblema do time do coração, as páginas de um calendário de futebol emolduradas e o quadro personalizado com o sobrenome da família. 

❚ Mais reaproveitamento: a caixa de vinhos virou nicho, e o caixote de feira, tingido de tinta esmalte azul, se transformou em revisteiro.

Fotos: Luis Gomes

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s