Casa de praia com decoração despojada

Instalada sobre a laje de uma pousada, a casa de 82 m² tem estilo despojado e charme próprio, tudo realçado pela paisagem deslumbrante do litoral alagoano

Foi neste sobrado, em Riacho Doce, AL, que Vitor Bulgarelli passou a infância. Quando a família decidiu transformar o imóvel em pousada, ele se ofereceu para tocar o negócio, com a assistência do border collie Bob. “A construção sobre a laje também seria convertida em dependência para hóspedes. Mas o Vitor se encantou com o visual e resolveu que sua casa seria ali”, conta o arquiteto Beto Normande, responsável pela reforma. Alguém questiona a decisão do rapaz?

O segredo: aproveitar o que se tem

º Simplicidade e economia foram as principais premissas do projeto – daí as paredes com colunas aparentes, opção mais em conta do que fazer o preenchimento para esconder os elementos estruturais.

º A porta holandesa, popular na região e conhecida como “saia e blusa”, foi eleita para a entrada. “O pai do Vitor garimpou a peça em uma loja de demolição, e a pintamos com sobra de tinta azul”, conta Beto.

º Uma das laterais foi tomada por grandes portas corrediças de vidro – tudo para tirar o máximo proveito da vista para o mar, que pode ser apreciada até da rede, estrategicamente posicionada no centro do estar.

Sem desperdício
º Uma das laterais do telhado de duas águas se estende quase até o nível do piso, formando um espaço morto devido ao pé-direito muito baixo. Para aproveitá-lo, o arquiteto o converteu em dois depósitos (1), fechados pelas cabeceiras nos quartos (2) e acessíveis por portas nesses painéis.
A beleza tem seu papel

º “Instalados na área do vaso sanitário e na bancada da cozinha, os ladrilhos em preto e branco criam a ideia de uma faixa unindo os ambientes”, diz o arquiteto.
º A porta do banheiro, de vidro temperado, ganhou adesivo personalizado, com uma foto do fundo do mar feita pelo morador.
º A madeira traz aconchego no quarto. O forro é de PVC com visual que imita o material. “Venta muito na região, com risco de destelhamento e infiltrações. Esse material sintético oferece resistência e durabilidade”, justifica Beto.

Veja também

(Ilutração Alice Campoy/Minha Casa)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s