Reforma integra ambientes em apê de 70 m²

Rearranjos otimizaram a planta e modernizaram o imóvel. Confira

Depois de oito meses de procura, a arquiteta Michelle Martins e o engenheiro Ricardo Sousa encontraram um excelente candidato a lar, doce lar. O imóvel, de cerca de 20 anos, havia sido recentemente transformado pela arquiteta Natália Shinagawa, que modificou principalmente a planta, mas também atualizou acabamentos e instalou parte da marcenaria. Depois de pegar as chaves, não tardou para que a moradora buscasse imprimir no apê sua personalidade e a do marido. “Repagino a casa de outras pessoas, claro que iria querer fazer o mesmo com a minha! Como a Natália já havia cuidado da parte pesada da obra, foquei na decoração. O resultado é um projeto a quatro mãos”, considera Michelle.

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Em vez de manter o banheirinho de empregada – que, sem uso, tinha virado depósito –, Natália abriu o cômodo para a lavanderia e preencheu a área com um armário para organizar produtose acessórios de limpeza.

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Nem por isso o apê ficou com apenas um banheiro: a arquiteta aproveitou a tubulação do espaço desativado para criar um lavabo em um trecho da cozinha (1,55 m²) originalmente usado como copa.
❚ O pulo do gato foi camuflar a entrada do ambiente. Reparou que o painel de MDF na parede atrás do balcão americano só tem prateleiras e armário do lado esquerdo? Isso porque a outra parte é, na verdade, uma porta de correr embutida. Quando aberta revela-se o novo cômodo.
❚ Com um elegante frontão de 50 cm, a bancada de mármore crema marfil apresenta um recorte para facilitar a circulação – logo abaixo, acompanhando seu contorno, uma prateleira de MDF acomoda o cestinho com toalhas de rosto.

Visual caprichado e orçamento enxuto

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Apesar de a cozinha ter sido estendida até a janela, a parede ao lado do fogão foi mantida, e o quebra-quebra, portanto, evitado. Esta superfície e a perpendicular receberam cerâmica pastilhada.
❚ Os armários de MDF foram projetados por Michelle, que incluiu detalhes no mesmo padrão amadeirado escolhido por Natália para o balcão americano e o painel que embute a porta do lavabo.

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Para não pesar no bolso, a almejada divisória de vidro que isolaria a lavanderia acabou sendo deixada de lado. Seguindo a sugestão da mãe, a moradora optou por uma cortina. “Foi confeccionada com tecido acrílico, fácil de limpar. E, por apresentar camada dupla, consegue barrar a luz.” A solução criativa também saiu em conta: os 8 m de pano necessários foram comprados em uma queima de estoque (Lamostr).Trilho e rodízios completam o conjunto.
Luminárias
Duas unidades do modelo Drum, de alumínio (28 x 22 cm). Tok & Stok
Cerâmica
Citta (25 x 60 cm), na cor Gold, com acabamento brilhante, da Incepa. Leroy Merlin,

Tira, refaz, troca e pronto: sala linda!

❚ A fim de disfarçar duas vigas, o teto era rebaixado em cerca de 25 cm, o que fazia o estar parecer apertado. Assim, Natália decidiu remover o forro e refazê-lo com 12 cm, o suficiente para esconder a tubulação que leva a água quente do aquecedor, que fica na lavanderia, até o banheiro da suíte. Tornadas aparentes, as vigas receberam gesso com spots embutidos.

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ A arquiteta também optou pela instalação da TV em um painel de drywall. “Mas preferi retirá-lo, pois queria meu aparelho em um móvel específico”, diz Michelle, referindo-se às prateleiras em L que projetou. A superfície oposta foi coberta de papel de parede.
❚ A poltrona retrô veio da casa de uma amiga que estava de mudança: “Comprei a peça e pedi para o meu pai trocar o revestimento de veludo por couro”. John, o vira-lata do casal, aprovou a renovação.

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Outro negócio de ocasião foi a cadeira da varanda, adquirida por apenas R$   45 em uma lojinha no interior paulista.
Papel de parede
Da coleção Origem, da Bobinex, ref.  1638. Lamostra

Um canto para comer, outro para ganhar o pão

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ O visual de concreto (Texturatto, da Suvinil, Leroy Merlin) na parede da sala de jantar foi eleito como base para quadros, móveis e outros elementos coloridos.

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Como o casal não queria ficar confinado em um cômodo na hora de trabalhar em casa, optou por não converter o quarto extra em home office. A solução foi aproveitar um canto da área de refeições – que, no projeto de Natália, seria o bar – para montar um miniescritório.

❚ O papel de parede estampado demarca o espaço e convive bem com os demais revestimentos do ambiente. “A diferença traz personalidade”, justifica Michelle.
Papel de parede
Da coleção Grafismo, da Bobinex, ref. 1864. Lamostra
Mesa de jantar
Modelo Bar Forró (2 x 0,90 x 0,78 m), ref. MBF09. Reginez

Mais praticidade e conforto para o banho

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Espremido na passagem entre as alas social e íntima, o lavatório que serve a suíte do casal possuía 60 cm de largura. Ele foi ampliado no projeto de Natália, passando a ter 1,10 m, e ganhou bancada de mármore. Como complemento, Michelle desenhou um gabinete sob medida com gavetas e sapateira.

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ No banheiro, a estrutura de alvenaria que atuava como uma espécie de banheira – e que, na prática, apenas tomava espaço –
saiu de cena. Outra solução esperta, o nicho escavado, revestido de pastilhas, deixa os itens de higiene à mão.
❚ O piso foi trocado por peças de porcelanato de 45 x 90 cm, que também cobrem as paredes, dentro do boxe.
Pastilhas
Da coleção Fit, da Colormix, Crema Marfil (1,5 x 1,5 cm). Trevizan Center

A suíte dos sonhos é vintage e moderna

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ Assim como na sala, o painel de drywall – no quarto, feito para embutir a fiação das luminárias na parede atrás da cama – foi removido pelos moradores. Agora, os fios ficam aparentes sobre um papel de parede estampado.
❚ Foi a própria Michelle quem confeccionou as graciosas arandelas que iluminam a cabeceira. “Usei como base suportes de ferro para vasinhos e fixei as cúpulas com silicone”, revela a moça.
❚ Para combinar com o visual retrô, mesas patinadas fazem as vezes de criados-mudos (Audrey Sevilha 137, Depósito Santa Fé).

(Luis Gomes/Minha Casa)

❚ No lado oposto, a área cedida pelo quarto de hóspedes, contíguo, possibilitou a instalação de um generoso armário com porta de correr espelhada.
❚ O pendente foi trazido de uma viagem a Buenos Aires.

Papel de parede
Da coleção Origem, da Bobinex, ref.  1633. Lamostra
Cabeceira
De madeira, com espuma e revestimento de linho (2 x 0,70 m). Lamostra

(Ilustração Alice Campoy/Minha Casa)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s