Banheiro prático e decoração em candy color

Nichos na alvenaria, armários em conta, cantinho para criança e divisória com ar retrô fazem deste um espaço funcional e único

O ambiente é pequeno, restrito à família e tem papel essencialmente utilitário. Então, para que inventar, certo? Errado! Foi pensando assim que, a pedido de Minhacasa, a arquiteta Cristina Bozian deu vida a um projeto de baixo custo e com soluções inesperadas, como as paredes sem azulejos, o gabinete para pronta entrega e a divisória construída com elementos vazados, os famosos cobogós. Idealizado para um casal que divide a área com uma filha pequena, o banheiro reúne personalidade e suavidade. De quebra, possibilita adaptações no visual conforme a menina for crescendo. “Basta trocar os acessórios meigos por itens mais neutros. O cômodo vai parecer outro!”, garante a profissional.

Delicadeza descolada

❚ Cores alegres, porém bem suaves – as chamadas candy colors –, trazem a graça necessária a um território frequentado por uma criança, mas estão longe de ser exclusivamente infantis. os matizes escolhidos foram azul, verde e rosa. 

❚ O cinza, junto com o branco, forma a base neutra que unifica a paleta.

Lindo, fácil de manter e sem pesar no bolso 

❚ O projeto dispensou móveis sob medida, luxo nem sempre compatível com o orçamento. itens mais baratos, como uma estante com nichos abertos e prateleiras com ganchos embutidos, dão conta do recado na hora de acomodar toalhas, artigos de higiene e outros acessórios. 

❚ Praticidade e economia também motivaram a escolha do gabinete que abraça a pia de coluna – uma alternativa às usuais bancadas de pedra. os rodízios facilitam a vida nos dias de faxina. 

❚ Para escapar da sujeira que se acumula entre as placas cerâmicas, a saída foi usar tinta epóxi nas paredes. apropriada para revestir ambientes expostos à umidade, a mão de obra da aplicação custa menos do que a instalação de azulejos ou pastilhas.

Recursos lúdicos e organização lado a lado 

❚ Em lar onde moram crianças, certos mimos não podem faltar. Atenta a isso, a arquiteta propôs a criação de um charmoso minicamarim, composto de três itens: um espelho com moldura provençal, uma pequena prateleira de 60 x 9 x 4 cm e uma banqueta que fica encaixada debaixo da estante quando estiver fora de uso. 

❚ A uma altura confortável para a pequena moradora, foi instalada uma barra com ganchos móveis, que pode servir para diversos fins. “Penduramos esponjas de banho e uma bolsinha de maquiagem, mas há uma infinidade de apetrechos que se acomodariam bem ali”, diz Cristina. 

❚ Quando os utensílios ficam expostos, é essencial mantê-los em ordem. Caixas, cestos organizadores e cabideiros são eficientes nessa tarefa e, ainda, incrementam a decoração. Mais uma vantagem: podem ser levados para dar uma forcinha na arrumação de outros ambientes. 

❚ O toalheiro convencional foi substituído por um romântico ganchinho pendurado na porta.

4,20 m² rendem bem

❚ Apesar das dimensões enxutas (1,50 x 2,80 m), não existe aperto nem dificuldade de circulação no cômodo, graças a escolhas como o alinhamento de pia, armário, prateleiras e vaso na mesma parede (1). 

❚ Na superfície oposta, o espacinho de beleza da menina (2), com seus modestos 9 cm de profundidade, não atrapalha a passagem. 

❚ Até o canto atrás da porta de entrada (3) foi aproveitado, com acessórios organizadores.

Tudo para garantir um belo banho!

❚ Ícone da arquitetura modernista e invenção genuinamente brasileira, os cobogós, além de serem lindos, dividem ambientes sem bloquear a ventilação e a entrada de luz. No projeto, eles reforçam a privacidade na área do banho, na forma de uma divisória cheia de estilo. Para confeccioná-la, foram utilizadas 18 peças cerâmicas esmaltadas (25 x 25 cm) em uma combinação de tons pastel dispostos alternadamente. 

❚ Repare no desenho que os blocos criam graças a seu singelo recorte. “A passagem parcial dos raios de sol resulta em um jogo de luz e sombra encantador”, considera a arquiteta. 

❚ Quando não há um boxe para impedir que a água do chuveiro espirre para o resto do banheiro, dois recursos se revelam grandes aliados: a construção de um pequeno degrau entre as alas molhada e seca e a instalação de uma cortina plástica, que pode ser transparente, para não brigar com outras informações – essa foi a opção adotada pela profissional, já que uma cor ou estampa atrás dos cobogós deixaria o visual carregado demais. 

❚ Nichos escavados na alvenaria multiplicam espaço. Por isso, Cristina optou por uma dupla que percorre toda a largura da parede: um está ao alcance dos adultos, enquanto o outro tem a medida ideal para a criança. 

❚ O ralo é um item que poucos valorizam, mas que pode fazer toda a diferença. Segundo a arquiteta, os modelos lineares têm agradado mais do que os tradicionais redondinhos, porque são eficientes no escoamento da água e exigem pouco recorte das placas do piso. Isso ainda contribui para deixar o visual mais limpo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s