Certo e errado: plantas dentro de casa

Elas trazem frescor aos ambientes, mas precisam de luz natural, ventilação e hidratação adequadas. Como o habitat das plantas é ao ar livre, nem todas toleram a mudança para áreas fechadas, lembra a paisagista Claudia Muñoz, de São Paulo. Conheça alguns requisitos para fazer a escolha correta.

Errado: O cacto mandacaru (Cereu jamacaru) e a suculenta echeveria (Echeveria sp) não são adequados à área mais úmida da casa. “Ambos armazenam água, então apodrecem com o vapor do chuveiro”, diz a arquiteta paisagista Claudia Diamant, de São Paulo.

Certo: A orquídea chuva-de-ouro (Oncidium sp), natural de locais sombreados, é mais apropriada. “É leve e alegre, mas não gosta de excesso de água, então evite regá-la demais”, recomenda Claudia. Basta uma vez por semana.                            Fotos Marcos Lima

Errado: “É fácil se encantar com espécies bem floridas e trazê-las para o interior da casa, mas são poucas as que aguentam”, diz a paisagista Claudia Muñoz. “A primavera , por exemplo, é uma trepadeira que necessita de muito sol e água. Depois de dez dias em ambiente fechado, vai começar a murchar.”

Certo: Para áreas internas, sempre eleja espécies de sombra ou meia-sombra, como a iuca, o lírio-dapaz, o pacová e a ráfis. Elas não tomam sol ou precisam de apenas três ou quatro horas de luz natural diárias. A palmeirinha-bambu (Chamaedorea erumpens) é propícia para áreas de sombra, por isso está liberada. “Coloque-a perto da janela para ter ventilação e claridade. Regue duas vezes por semana: como o vaso não pega sol, a terra acumula água.”

Posso ter vasos no quarto?

Os paisagistas não aconselham. “É uma questão de higiene: além de o ambiente acumular muito pó, a planta pode conter algumas praguinhas, como o pulgão e a cochonilha”, explica Claudia Muñoz, da Linea Paisagismo. Aliás, se isso acontecer, resolva na hora: passe um pano ou corte a folha doente. E, se não abrir mão de um verde no quarto, opte por uma jarra com flores naturais. “As plantas liberam dióxido de carbono à noite, e não é saudável compartilhar o espaço com esse gás”, acrescenta Claudia Diamant, do escritório Arquitetura da Paisagem. “Prefira, portanto, colocá-las no terraço do quarto, se tiver um”, recomenda.

As espécies levam as denominações popular e científica dadas pelas profissionais. Devido à enorme proliferacão de plantas híbridas, é impossível garantir a total correção dos nomes.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s