Dicas para ter jardim na sacada

Os dois exemplos a seguir comprovam: mesmo em espaços compactos, é possível desfrutar da deliciosa companhia de plantas altas e até frondosas

Elevadas, baixinhas, folhudas, esguias: a beleza está na diversidade

Foto: Marco Antônio

❚ Com 12 m², esta varanda de um apê paulistano se transformou em um delicioso jardim pelas mãos da paisagista Ivani Kubo. 

❚ Quase todas as espécies selecionadas são de meia-sombra. A variedade de texturas, formatos e tons de verde enriquece o visual do conjunto. 

❚ O destaque fica por conta das plantas mais altas, como o fícus (à esquerda, com copa arredondada) e o bambu-mossô (à direita, no vaso comprido). 

❚ Apesar de ser uma espécie ornamental, o fícus pertence ao mesmo gênero da figueira frutífera, e também apresenta crescimento vigoroso – motivo pelo qual merece podas constantes. 

❚ Já o bambu-mossô, apesar do porte, é um tipo de grama. Muito adaptado a vasos, é uma planta de sol pleno, ideal, por exemplo, para sacadas de face norte com insolação direta durante todo o dia.

A escolha da espécie certa e a dedicação diária rendem frutos

Foto: Luis Prado

❚ A frondosa jabuticabeira, que ganhou o apelido carinhoso de Mimosa, é a estrela do apartamento paulistano da jornalista e paisagista Carol Costa, do site Minhas Plantas. 

❚ A árvore foi cultivada em uma tina de ofurô, mas vasos grandes (com boca medindo de 60 cm a 70 cm de diâmetro) também são boas opções. 

❚ Nativa do Brasil, a jabuticabeira costuma se desenvolver bem em varandas, desde que seja um espaço ensolarado e arejado, sem vento forte. 

❚ Várias frutíferas de porte pequeno (que vão até 5 m) são também belas pedidas para terraços – a exemplo da amoreira, todos os citros (laranja, limão, limão-siciliano, laranja kinkan, mexerica etc.), pitanga, acerola e cerejeira. 

❚ “É claro que as árvores plantadas no solo crescem em todo o seu esplendor e mais rapidamente, mas o vaso não é um fator necessariamente limitante”, garante a especialista, lembrando que a adubação orgânica, sim, é imprescindível. 

❚ Quanto à poda, Carol recomenda fazer só durante a lua minguante, período em que a seiva das plantas volta para as raízes: “Caso contrário, a vegetação pode ficar mirrada”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s