Cozinha com adesivos vintage, lousa e horta de temperos

As paredes da cozinha curitibana eram sem graça. Até que a moradora descobriu adesivos com estampas de azulejos

Já fazia algum tempo que o visual básico da cozinha deixara de agradar a moradora, a empresária Betyane Castelan, de Curitiba. “Também passei a implicar com o listelo cerâmico decorado que havia em parte das paredes e comecei a achar que esse canto poderia ser mais bem aproveitado. O único porém é que não estava disposta a quebra-quebra”, conta. Ao descobrir adesivos com cara de azulejos vintage, ela vislumbrou uma maneira prática de reinventar o espaço: “Logo pensei em compor um grande mosaico”. Outra sacada para esconder o revestimento foi montar um quadro-negro, onde a família costuma anotar recados, listas e lembretes. Como complemento, vieram prateleiras novas, robustas o bastante para acomodar mantimentos, enfeites e até uma mini-horta de temperos.

 (Alessandra Okazaki/Minha Casa)

Protagonista da renovação, o mosaico mescla 48 estampas. Segundo Betyane, combiná-las não deu trabalho, já que todas possuem o mesmo estilo. “Só evitei colocar lado a lado padrões de cores muito semelhantes”. Foram usadas 171 peças com padrões de azulejos antigos da Santa Composição.

Depois de limpar com álcool as superfícies destinadas à decoração, a moradora partiu para a colagem, auxiliada por uma régua, técnica que evita o surgimento de bolhas.

Notou que o formato quadrado dos adesivos não bate com o desenho retangular dos azulejos originais? Pois saiba que isso não comprometeu o resultado. Bem encorpados, os apliques vinílicos cobriram os rejuntes sem que os sulcos ficassem aparentes. Bastou deixar cerca de 5 mm entre as peças para simular o novo rejuntamento.

 (Alessandra Okazaki/Minha Casa)

As prateleiras pequenas e frágeis foram trocadas por exemplares mais resistentes, que tomam o vão de ponta a ponta.

Furadas no fundo com chave de fenda, latas de manteiga servem de vasinhos para mudas de alfavaca, hortelã, alecrim e pimenta. Um pedaço de manta drenante protege por dentro a bandeja de madeira.

Conquistou-se o quadro-negro, que vai do chão ao teto, graças a uma chapa de MDF pintada de esmalte fosco, aparafusada em uma parede menor. A tinta é o esmalte fosco preto, da Suvinil.

 (Alessandra Okazaki/Minha Casa)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s