Apartamento pequeno: móveis sob medida faz render o espaço

Com muito planejamento e truques para aproveitar cada centímetro, coube tudo no apê de 36 m²

Antes de comprarem o endereço em São Paulo, há cerca de um ano, os especialistas em informática Emílio Francesquini e Patrícia Yano puseram na balança as vantagens e as desvantagens de ter um apartamento pequeno. Feitas as contas, concluíram que, se planejassem o mobiliário, não sofreriam nem com a sensação de aperto nem com o espaço reduzido para guardar suas coisas. “A planta bem distribuída chamou nossa atenção. Mesmo enxuto, o imóvel tem área de serviço, sala de jantar, cozinha…”, conta Emílio. “E a estrutura do edifício, que inclui piscina e academia, também contou pontos.” Negócio fechado, o casal pediu à arquiteta Marina Barotti para personalizar o cantinho. “Decidimos encomendar os móveis a um marceneiro porque teríamos tudo sob medida e ainda gastaríamos menos do que se comprássemos peças prontas”, explica Patrícia.
Truques para aproveitar os espaços

(Marcos Lima/Minha Casa)

• O banco-baú (1,70 x 0,50 x 0,90 m*, com o encosto) acomoda os convidados durante as refeições, além de guardar toalhas e utensílios de uso esporádico. Para dar mais conforto, o futon vermelho entra em cena.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• Retângulos de espelho revestem toda a parede onde termina a mesa de jantar, fazendo a área parecer maior.
Lustre pendente
A mesa de jantar (1,70 x 0,75 x 0,70 m) é destacada por uma luminária de vidro e aço, com quatro lâmpadas halógenas PAR 20. Lustres Iriê
Parede decorada
Usar papel de parede foi uma saída interessante para mexer na decoração de forma clean. O modelo listrado (Wallpaper) utilizado na sala alonga visualmente o espaço
Cadeiras e banquetas
As peças somam estrutura de inox e assento de acrílico transparente. Da Sun House
Boas ideias na cozinha

(Marcos Lima/Minha Casa)

• O balcão que integra sala e cozinha revela um truque e tanto: um nicho azulejado com 15 cm de profundidade, cortado por duas prateleiras de MDF revestido de melamina branca. Ali ficam potes de mantimentos.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• Placas de vidro transparente cobrem a mesa de jantar e o balcão, revestidos com lâmina de madeira no padrão Teak 93Q, da Rume. A solução facilita a limpeza das superfícies e dá unidade visual à sala.
• As banquetas com assento transparente deixam a ambientação mais leve. A regulagem de altura possibilita que sejam utilizadas em outros lugares além da bancada.
Área de serviço eficiente

(Marcos Lima/Minha Casa)

• A tábua de passar roupa surge de dentro de uma caixa de MDF apoiada em mãos-francesas dobráveis. O utensílio dobra ao meio e se recolhe dentro da caixa, deixando a circulação livre na lavanderia de dois metros quadrados.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• Para aproveitar na cozinha a luminosidade que vem da área de serviço, o casal separou os ambientes com uma porta de correr de vidro.
• Cada vareta do varal sobe e desce individualmente, facilitando a tarefa de pôr as roupas para secar.
A sala foi planejada para dar conforto ao casal e a seus amigos

(Marcos Lima/Minha Casa)

• No sofá de dois lugares, há chaises retráteis, ideais para as sessões de filmes.
• A tela da TV livra-se de reflexos quando a cortina é fechada. Esta tem trilho embutido no teto, recurso que deixa o pé-direito aparentemente mais alto.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• Ao definir a base da decoração, Patrícia e Emílio tomaram uma decisão que fez toda a diferença: escolheram um fundo neutro, mesclando branco com variações de bege e marrom. Cores integram o cenário em usos pontuais, como nas almofadas das cadeiras e na manta do sofá. Quando se cansarem do vermelho, é só mudar o tom dos acessórios.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• Patrícia fez balé por muitos anos e chegou a estudar na famosa escola russa Bolshoi. Lembrança dessa época, a miniatura da Catedral de São Basílio, em Moscou, ocupa lugar nobre na sala, na prateleira acima do rack da TV.
Marcenaria
A arquiteta Marina Barotti planejou os móveis de acordo com as necessidades dos moradores. A execução coube à marcenaria Arte em Móveis.
Flor de mentirinha
Os vasos solitários de vidro e as tulipas de tecido são da Carol Martini
Deques

(Marcos Lima/Minha Casa)

• Na varandinha, o casal colocou seixos rolados e deques de cumaru. Madeireira Jotaefe. A mesma empresa fez o banco ripado que disfarça o módulo externo do aparelho de ar condicionado.
• O módulo interno do ar-condicionado fica escondido em um armário branco com porta basculante ripada, por onde sai o vento que refresca a sala.
Gesso no teto
O forro rebaixado embute pontos de iluminação e delimita ambientes: note como o estar se encaixa em um quadrado marcado no gesso. Além da sala, a Gessobra trabalhou em arremates no quarto e na cozinha.
Sofá
Modelo Toronto, com assentos retráteis. Copelli Decorações
Home theater
Equipamento wireless LGHW554TH, da LG. Fast Shop
Quadros
Fast Frame.
Acessórios
Manta indiana e almofadas de seda, ambas da Alamanda
Banheiro revela nichos funcionais
• Os dois vãos – um na parede ao lado da pia e outro dentro do boxe – deixam por perto os produtos de beleza e higiene. A madeira recebeu tratamento impermeabilizante e assim resiste à umidade.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• A área acima do vaso sanitário foi ocupada por duas prateleiras altas que acomodam toalhas.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• O revestimento das paredes – pastilhas cerâmicas – permanece intacto. Já o piso original, de cerâmica branca, deu lugar a faixas de larguras variadas, feitas de pastilhas de vidro em tons terrosos e branco.
Piso do banheiro
Faixas de larguras e tons variados foram montadas com mosaicos de vidro da Vidrotil. Quadradinhos de 2,5 x 2,5 cm integram placas de 30 x 30 cm. De Stijl
Misturador para lavatório
Com jato tipo cascata, o modelo LorenQuadra Plus, da Lorenzetti, tem acabamento cromado. C&C
O quarto tem seus esconderijos, úteis para acomodar edredons e travesseiros

(Marcos Lima/Minha Casa)

• A largura do ambiente comporta apenas o colchão e duas mesinhas laterais. Por isso a arquiteta projetou uma prateleira suspensa e um armário com portas de correr, ambos sobre a cabeceira.

(Marcos Lima/Minha Casa)

• Ao escolher a cama box, o casal preferiu uma do tipo baú, com espaço para guardar edredons e outros itens do enxoval.
• O guarda-roupa com portas de correr fica aos pés da cama e, por ser espelhado, reflete o cômodo e dá amplitude.
• No quarto, a porta tradicional foi substituída por outra de correr, o que melhorou o aproveitamento da área. Como abre em direção à cabeceira, não prejudica o armário.
Luminária branca
Feita de náilon, está sobre o criado-mudo. Carol Martini
Almofadas azuis
Com estampa floral, são da Alamanda.
Travesseiros
São feitos de fibras de garrafas PET. Trisoft Eco, à venda na Doural.

1 m² que fez a diferença

(Ilustração Alice Campoy/Minha Casa)

• Um nicho perdido (1), escondido atrás de paredes de drywall, permitiu deslocar a porta do quarto e conquistar mais duas portas (2) de armário. Difícil foi encontrar uma empresa de pisos laminados que topasse cobrir apenas o pedacinho extra no corredor.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s