Apê de 69 m² fica a cara dos donos sem quebra-quebra

Durante os anos em que esperou pela construção e entrega, a arquiteta bolou mil e um projetos. Por fim, personalizou o apê dispensando o quebra-quebra

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

A ideia de Carolina Mendonça, prontamente aceita pelo marido, o engenheiro de produção Daniel Kurka de Almeida, foi deixar o novo lar o mais aconchegante e funcional possível investindo apenas em mobiliário e decoração. “Até pensei em trocar o piso, mas daí teria de mudar os revestimentos das paredes, e acabaria saindo muito caro”, diz a profissional, cujas intervenções mais radicais foram a troca das bancadas de cozinha e banheiro e a aplicação de nova cerâmica sobre a original dentro do boxe.

Paleta graciosa e equilibrada

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Destaque na ala social, o acabamento amadeirado da marcenaria do jantar traz aconchego, e forma a base neutra junto com o branco de piso e paredes e com o cinza de portas, batentes e estofado. “Escolhemos um sofá dessa cor para não termos receio de sujar”, entrega Carolina.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Com isso, foi possível apostar em alguns itens de tons marcantes. “Me apaixonei pelas cadeiras turquesa. Em meio a outras peças coloridas, como o rack roxo [Masp, 1,30 x 0,40 x 0,43 m. Oppa.], elas não ficam chamativas demais”, diz.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Ampliando visualmente o espaço, o espelho na parede só não vai até o teto devido ao posicionamento do aparelho de ar-condicionado.

Beleza aliada a praticidade

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Também seguindo a fórmula de base neutra mais objetos coloridos, a parede do balcão americano recebeu textura com efeito de cimento queimado e um caprichado arranjo de quadros.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

De quebra, a combinação emoldura um objeto de desejo de Carolina: os móveis planejados da cozinha com acabamento texturizado preto. Para não destoar dos armários, a bancada da pia original, bege, foi substituída por uma de granito preto são gabriel. “A ideia era fazer o mesmo com o tampo do balcão, mas fomos deixando pra lá e acabamos nos acostumando com ele”, confessa.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Como o casal gosta de cozinhar, a parede oposta à pia recebeu ganchos para pendurar utensílios e uma estante estreita (fora de linha. Mesmo modelo na cor branca: Brick, 60 x 20 x 87,3 cm. Tok&Stok), que acomoda tigelas e temperos. Assim, tudo fica à mão – e a circulação no trecho da bancada não é prejudicada.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Uma divisória de vidro temperado fosco esconde a lavanderia sem impedir a passagem de luz natural.

Suíte com visual no capricho

O branco predomina para iluminar e ampliar o quarto de casal – e também para destacar a cabeceira. “Projetei-a de modo que ficasse à frente da coluna em vez de se encaixar no vão. Na parte de cima da peça, aproveitando o recuo, fiz uma prateleira rebaixada para acomodar objetos e apoiar quadros”, conta. Com a criação dessa área de armazenamento, ela optou por apenas um criado-mudo.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

No banheiro, destaca-se a cerâmica estampada (Terrades Basalto, série 1900, 20 x 20 cm, da Colormix). “Usei-a apenas em uma parede do boxe, já que não é barata”, observa.

 (Juliano Colodeti/Divulgação)

Layout funcional e adaptável

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Na hora de montar o home office no segundo quarto, as possibilidades futuras foram consideradas. “Pensei: se eu engravidar, o que faço com a marcenaria?”, conta Carolina. A saída foi encomendar apenas uma bancada fixa para ela, que posteriormente pode ser convertida em trocador.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Os demais móveis, como o gaveteiro amarelo e a escrivaninha de Daniel, podem ser movidos e reaproveitados, se necessário. Aliás, todos eles vieram do antigo escritório da arquiteta. “Só mandei laquear a estante de azul”, afirma.

 (Juliano Colodeti (Divulgação)/Minha Casa)

Arranjo ideal

 (Alice Campoy/Minha Casa)

Com porta de três folhas, a varanda (1) funciona como extensão do estar em dias de festa. Em outros apartamentos do prédio, o canto na entrada do quarto principal recebeu uma bancada de trabalho, mas Carolina ocupou o espaço com mais um armário (2) – afinal, ela já tem seu home office (3).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s