Espaço de sobra no apê de apenas 38 m²

Ao invés de derrubar paredes para ganhar amplitude, erguer uma divisória foi a estratégia crucial para deixar o apartamento mais organizado e funcional

O imóvel zero-quilômetro era como uma tela em branco: entregue pela construtora ainda no contrapiso, tinha o layout unificado, como se fosse um salão. “Gosto de integração, mas queria privacidade para o quarto”, conta a empresária Stefanny Yu. Contratada para resolver a questão, a arquiteta Carolina Candido iniciou o projeto levantando uma parede de alvenaria, e propôs outras mudanças, como a incorporação da varanda à sala – medida prontamente aprovada pelo segundo morador, o boston terrier Marvin, que ganhou uma área generosa para saracotear!

Microapê sem aperto

❚ Com a construção de uma parede (1), a moradora ganhou um dormitório fechado.

❚ Um trecho do antigo terraço recebeu a condensadora do ar-condicionado (2). Uma porta de correr de vidro permite o acesso ao aparelho, que fica oculto por uma cortina.

Na antiga sacada agora mora o sofá

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ “Para integrar a varanda à sala, foi necessário retirar a porta-balcão que marcava o limite entre os cômodos, nivelar o piso e fazer o envidraçamento total do vão”, lista Carolina. Desse modo, foi conquistado o espaço perfeito para encaixar um sofá, e ainda restou um recuo na alvenaria de cada lado do estofado: em um deles, foi alocada a unidade condensadora do ar-condicionado (veja mais no boxe acima); no outro, uma estante vazada revestida de fórmica branca, desenhada sob medida pela arquiteta.

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ A marcenaria dá as caras em todos os cantos do apê – na sala, inclui, além da estante, rack, gaveteiro, prateleiras e painel de TV; na cozinha, a mesa e os armários; no banheiro, os gabinetes; e, no quarto, o guarda-roupa e a porta de correr (Móveis Canteiro).

❚ O mesmo porcelanato (Alasca Glass 16, de 80 x 80 cm, da Mosarte. Ville Rose Cerâmica) comparece na cozinha, na sala e no quarto.

Foco total na praticidade

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ Apesar de a planta original não prever espaço para tanque ou máquina de lavar, já que o condomínio oferece uma lavanderia coletiva, a moradora fez questão de ter uma lava e seca para sua comodidade. A arquiteta, então, sugeriu a compra de um modelo com abertura frontal, que permite o aproveitamento da área acima da máquina com uma bancada de trabalho – esse tampo em L, de Silestone (revestimento à base de quartzo, da Cosentino) no padrão Branco Stellar, com frontão de 18 cm, unificou a região da área de serviço com o restante da cozinha.

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ Os armários de MDF foram desenhados por Carolina, que mesclou vidro e laca PU cinza como revestimento. Para completar, a arquiteta projetou prateleiras no alto do conjunto e um nicho para acomodar a geladeira, ambos revestidos de laminado melamínico no mesmo padrão amadeirado.

Visual neutro e charmoso

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ A paleta dominada por tons frios – branco, cinza e prata – é aquecida pela madeira dos móveis e pelos detalhes cor-de-rosa que pontuam a decoração.

❚ Com pés de alumínio e tampo de MDF revestido de fórmica branca, a mesa – fixada à alvenaria com sistema de encaixe invisível – não apenas é usada para as refeições como também faz as vezes de home office.

❚ Logo na entrada do dormitório foi preciso erguer uma parede de drywall a fim de fechar o espaço onde está a unidade externa do ar-condicionado. Recortados nessa divisória, nichos com fundo de acidato (vidro que recebe banho de ácido e perde a transparência, mas não a translucidez) permitem a passagem da luz natural.

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ No banheiro, o destaque fica por conta das pastilhas de vidro (modelos branco A20 e furta-cor F13, ambos da Colormix, com 2 x 2 cm. Ville Rose Cerâmica). “Quando trabalhamos com o mesmo revestimento em piso e paredes, o visual fica mais clean, com ares de spa!”, justifica a arquiteta. “Para criar algo parecido, é preciso uma boa mão de obra para preparar o contrapiso, impermeabilizá-lo direitinho e fazer um rejunte super cuidadoso”, orienta a profissional.

Bela vitrine de sapatos!

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ Confeccionado em MDF, o guarda-roupa em L possui puxadores revestidos de couro creme e portas laqueadas de branco com um detalhe especial: um trecho de vidro, justamente para a fácil visualização dos calçados de Stefanny. O móvel, que vai do piso ao teto, oferece espaço suficiente para guardar todos os pertences da moradora, mantendo impecável a organização do apê de medidas enxutas. “Esse armário virou o meu xodó: se eu me mudar, vou querer levá-lo nas costas!”, brinca a moça.

(Marcelo Saraiva/Minha Casa)

❚ O fechamento do dormitório é feito por uma porta de correr de peroba maciça resinada (1,02 x 0,04 x 2,50 m*). Feita sob medida, a esquadria desliza em um trilho suspenso, embutido no forro de gesso. “A peça não só economiza espaço como valoriza a parede”, aponta a arquiteta.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s