5 boas soluções integram a sala deste apartamento

Paredes derrubadas, vigas aparentes, trilhos de spots e muito integração marcam o projeto

A planta compartimentada deste apê gaúcho deu lugar a espaços amplos e acolhedores, graças às intervenções do escritório Atelier Aberto. A ala social exemplifica a engenhosidade do projeto.

 (Marcelo Donadussi (Divulgação)/Minha Casa)

1 – Integrar para ganhar

No desenho original, cozinha, sala e quarto de serviço eram separados, dando a sensação de aperto e confinamento. A derrubada de paredes imediatamente trouxe mais amplitude e luz natural. A fim de tirar melhor proveito do espaço, não sobrou nada da divisória da cozinha – em vez de um balcão americano convencional, optou-se por uma espécie de ilha, que, de quebra, esconde as costas do sofá.

2- Elemento assumido

Por se tratar de alvenaria portante, a remoção das paredes exigiu reforço estrutural, na forma de vigas metálicas, que foram então pintadas de preto. “Achamos que seria mais interessante destacá-las do que escondê-las ou disfarçá-las”, explica a arquiteta Renata Becker, do Atelier Aberto.

3 – Luz prática e barata

Sugerida pelas vigas aparentes, a linguagem industrial foi adotada também na iluminação, feita de trilhos com spots direcionáveis. “Além de permitir a distribuição uniforme da luz, o uso dos perfilados é uma opção em conta, já que uma barra de 6 m custa em torno de R$ 30. E os spots com lâmpadas PAR 20 dão um efeito cênico e acolhedor”, aponta Renata.

4 – Vão reaproveitado

A porta que ligava o antigo quarto de serviço à lavanderia foi parcialmente fechada com gesso. No lado da sala, foi mantido um recuo de 10 cm de profundidade, formando um nicho com prateleiras sob medida. O trecho inferior do vão permaneceu aberto – ele é ocupado por uma peça de marcenaria que se estende da sala à lavanderia, servindo como apoio na primeira e armário na segunda.

5 – Achados preciosos

Debaixo do piso laminado, os arquitetos descobriram um charmoso parquete, que foi resgatado. Já a parede da TV foi descascada até expor os tijolos. “Seu aspecto bruto se contrapõe ao mobiliário limpo, de linhas puras. Também em função do contraste, optamos por aplicar cimento queimado na superfície oposta, na cozinha”, conta Renata.

 (Marcelo Donadussi (Divulgação)/Minha Casa)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s