5 estantes charmosas para organizar o ambiente

Sob medida, comprada pronta, do tipo faça você mesmo, exibida, discreta... Qual delas tem mais a ver com seu jeito de organizar as coisas?

Como um portal

A estante projetada pelo carioca Marcelo Moura, do Tripper Arquitetura, foi alocada em um local estratégico: “Emoldurando a porta que faz a transição entre os setores social e íntimo”, conta o arquiteto. De freijó, o móvel possui nichos abertos e fechados de vários tamanhos (Cavazzoni Marcenaria, R$ 10 200). “Para evitar que o visual ficasse como o de um paredão inteiro de madeira, as portas têm acabamento laqueado nas cores branco e fendi”, justifica.

A estante projetada pelo carioca Marcelo Moura, do Tripper Arquitetura, foi alocada em um local estratégico: “Emoldurando a porta que faz a transição entre os setores social e íntimo”, conta o arquiteto. De freijó, o móvel possui nichos abertos e fechados de vários tamanhos (Cavazzoni Marcenaria, R$ 10 200). “Para evitar que o visual ficasse como o de um paredão inteiro de madeira, as portas têm acabamento laqueado nas cores branco e fendi”, justifica. (Juliano Colodetti (MCA Astudio)/Minha Casa)

Encaixe perfeito

A estante de MDF , desenhada pela arquiteta paulistana Patricia Cillo, abriga também o jantar. “Nessa peça, além de livros e objetos da parte aberta, as portas [discretas, com sistema fecho-toque] guardam louças e materiais de limpeza”, conta. Apesar da dupla mesa e estante formarem um par alinhadíssimo, elas são independentes. “A mesa era um aparador! É difícil encontrar um modelo como este, mais estreito e sem o pé central. Por isso, adaptei”, revela.

A estante de MDF , desenhada pela arquiteta paulistana Patricia Cillo, abriga também o jantar. “Nessa peça, além de livros e objetos da parte aberta, as portas [discretas, com sistema fecho-toque] guardam louças e materiais de limpeza”, conta. Apesar da dupla mesa e estante formarem um par alinhadíssimo, elas são independentes. “A mesa era um aparador! É difícil encontrar um modelo como este, mais estreito e sem o pé central. Por isso, adaptei”, revela. (Eder Lizier/Minha Casa)

Pode copiar!

O projeto original da Tavolette é do designer italiano Enzo Mari. A estante, de compensado laminado de pínus, atraiu olhares no ambiente projetado pelo escritório Todos Arquitetura, para a Casa Cor São Paulo 2017. “Durante a mostra, distribuímos um folheto que ensina a fazer igual”, diz Lais Delbianco. Afinal, a proposta do criador é um design de técnicas e materiais simples, para qualquer um recriar seus móveis, desde que não haja fim comercial.

O projeto original da Tavolette é do designer italiano Enzo Mari. A estante, de compensado laminado de pínus, atraiu olhares no ambiente projetado pelo escritório Todos Arquitetura, para a Casa Cor São Paulo 2017. “Durante a mostra, distribuímos um folheto que ensina a fazer igual”, diz Lais Delbianco. Afinal, a proposta do criador é um design de técnicas e materiais simples, para qualquer um recriar seus móveis, desde que não haja fim comercial. (Renato Navarro/Minha Casa)

Preto no branco

Nas laterais do rack de drywall – uma das tantas peças feitas pelos moradores Day Fernandes e Marcelo Esberard, de Belo Horizonte –, destaca-se um par de estantes inclinadas, de MDF preto (Ipanema, 0,54 x 0,40 x 1,89 m, da Spaceo. Leroy Merlin, R$ 299,90 cada). “A inspiração veio muito da decoração escandinava”, aponta Day para os móveis pretos que sobressaem no cenário branquinho.

Nas laterais do rack de drywall – uma das tantas peças feitas pelos moradores Day Fernandes e Marcelo Esberard, de Belo Horizonte –, destaca-se um par de estantes inclinadas, de MDF preto (Ipanema, 0,54 x 0,40 x 1,89 m, da Spaceo. Leroy Merlin, R$ 299,90 cada). “A inspiração veio muito da decoração escandinava”, aponta Day para os móveis pretos que sobressaem no cenário branquinho. (Daniel Mansur/Minha Casa)

Discreta e luminosa

Toda de compensado com as faces revestidas de laminado grafite, a estante assinada pela arquiteta Patricia Fendt, do escritório Desenho Brasileiro, esteve na mostra Casa Cor Rio de Janeiro 2017. “A peça foi fixada no piso e no teto, apenas com prateleiras encostadas na parede”, fala a projetista, explicando que as colunas ganharam fitas de LED embutidas. “A ideia foi ressaltar os objetos e não o móvel, por isso ele tem um design bem leve”, finaliza.

Toda de compensado com as faces revestidas de laminado grafite, a estante assinada pela arquiteta Patricia Fendt, do escritório Desenho Brasileiro, esteve na mostra Casa Cor Rio de Janeiro 2017. “A peça foi fixada no piso e no teto, apenas com prateleiras encostadas na parede”, fala a projetista, explicando que as colunas ganharam fitas de LED embutidas. “A ideia foi ressaltar os objetos e não o móvel, por isso ele tem um design bem leve”, finaliza. (Sambacine/Minha Casa)

Preços pesquisados entre 12 e 19 de março de 2018, sujeitos a alteração.

Veja também
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s