CASACOR São Paulo 2018: 5 ideias para usar cores nas paredes

Paredes e tetos coloridos delimitam espaços, criam sensação de aconchego ou amplitude e destacam obras de arte

Não há uma superfície branca no Loft Caleidoscoop Coral assinado pelo arquiteto Maicon Antoniolli! As paredes e o forro da ala social ganharam pintura Escrita Antiga, da Coral. No chão, um tapete com matiz parecido completa a setorização. Para não deixar o espaço com um ar masculino, o arquiteto optou por usar cores suaves no mobiliário, como o rosa-antigo no sofá e as linhas coloridas da tapeçaria assinada pelo artista paulistano Norberto Nicola.

Não há uma superfície branca no Loft Caleidoscoop Coral assinado pelo arquiteto Maicon Antoniolli! As paredes e o forro da ala social ganharam pintura Escrita Antiga, da Coral. No chão, um tapete com matiz parecido completa a setorização. Para não deixar o espaço com um ar masculino, o arquiteto optou por usar cores suaves no mobiliário, como o rosa-antigo no sofá e as linhas coloridas da tapeçaria assinada pelo artista paulistano Norberto Nicola. (Luis Gomes/Minha Casa)

Neste canto da Casa_Dezesseis, assinada pelos designers Moacir Schmitt Jr. e Salvio Moraes Jr., a parede cinza (Wallcovering, coleção Color Linen) emoldura os icônicos pratos do artista italiano Piero Fornasetti e dialoga com a paleta escura dos móveis.

Neste canto da Casa_Dezesseis, assinada pelos designers Moacir Schmitt Jr. e Salvio Moraes Jr., a parede cinza (Wallcovering, coleção Color Linen) emoldura os icônicos pratos do artista italiano Piero Fornasetti e dialoga com a paleta escura dos móveis. (Denilson Machado (divulgação)/Minha Casa)

O verde elegante (Chafariz da Praça, da Coral) está no teto, paredes, estantes e rodapé do Estúdio 4, de Clarissa Reade e Pereira Reade, e funciona como pano de fundo para a decoração de cores vivas. O piso imita cimento queimado (Volcanic, 1 x 1 m, da Portinari).

O verde elegante (Chafariz da Praça, da Coral) está no teto, paredes, estantes e rodapé do Estúdio 4, de Clarissa Reade e Pereira Reade, e funciona como pano de fundo para a decoração de cores vivas. O piso imita cimento queimado (Volcanic, 1 x 1 m, da Portinari). (Renato Navarro/Minha Casa)

O truque da designer de interiores Melina Romano para abusar das cores em paredes e teto do Estúdio Trama é o uso de tons pouco saturados, mais apagados (Turquesa Fumê e Ouro Monarca, da Coral). O amarelo destaca a escultura de Nao Yuasa, de quartzo.

O truque da designer de interiores Melina Romano para abusar das cores em paredes e teto do Estúdio Trama é o uso de tons pouco saturados, mais apagados (Turquesa Fumê e Ouro Monarca, da Coral). O amarelo destaca a escultura de Nao Yuasa, de quartzo. (Divulgação/Minha Casa)

Inspirado em um painel feito pelo cacique Anuiá Amarü, da tribo Xingu do Mato Grosso, o arquiteto francês Jean de Just escolheu as seguintes cores para o Lavabo dos Encontros: Turquesa Veneziana, Semente de Guaraná e Lápis Preto, da Coral.

Inspirado em um painel feito pelo cacique Anuiá Amarü, da tribo Xingu do Mato Grosso, o arquiteto francês Jean de Just escolheu as seguintes cores para o Lavabo dos Encontros: Turquesa Veneziana, Semente de Guaraná e Lápis Preto, da Coral. (Renato Navarro/Minha Casa)

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s