Deu até pra fazer um escritório neste apê de 33 m²!

O casal fez milagre ao transformar o imóvel de medidas tão enxutas em um lar completíssimo, cheio de personalidade. E não foi preciso gastar fortunas: os moradores bolaram tudo – do layout aos mimos da decoração – copiando boas ideias de nossas páginas

O primeiro lar do designer gráfico Fernando Gonçalves Losano, e da gestora de recursos humanos Simone Santana Losano, de São Paulo, foi comprado na planta, há três anos. Tempo suficiente para que eles pudessem planejar cada detalhe. “Não tínhamos experiência com decoração, então fizemos tudo com base em referências das revistas e pesquisas na internet”, lembra Fernando. A partir daí, encaixar todos os desejos na planta retangular foi como brincar de quebra-cabeça – e a distribuição deu tão certo que até um pequeno escritório encontrou seu lugar. O segredo foi escolher o mobiliário adequado a cada cantinho e driblar a falta de espaço com muito bom humor.

Menos paredes fazem render os 33 m²

❚ Pouco mais da metade da planta (18 m²) destina-se à ala social, que engloba salas de estar (1) e jantar (2), cozinha americana (3) e um pequeno escritório (4). Mesmo estando unidos, esses ambientes têm suas funções bem delimitadas graças ao layout inteligente definido pelo casal.

❚ Apenas os cômodos molhados foram cobertos com revestimentos frios – a cozinha ganhou ladrilho hidráulico decorado e o banheiro teve a cerâmica básica substituída por um porcelanato que imita madeira. Os demais ambientes receberam piso laminado. 

Integração, novos usos de espaço e um visual bem mais agradável

❚ Na planta original, a cozinha-corredor era fechada e parecia ter ainda menos do que seu 1,45 m de largura. Para dar um respiro e ampliar visualmente o cômodo, que é integrado à lavanderia, foi feito um recorte na parede da sala, abrindo espaço para um balcão americano (1,05 x 0,40 x 0,98 m*). E como cada centímetro de áreas pequenas é precioso, a região sob a bancada foi tomada por um armário aberto de 40 cm de profundidade.

❚ A fim de delimitar os ambientes unidos, Fernando apostou no piso de ladrilho hidráulico. “As peças são como obras de arte e o resultado ficou ousado, fora do convencional”, comemora. O encontro com a madeira da sala é suavizado por uma moldura de granito preto.

❚ Entre a porta de entrada do apê e a cozinha, o dente na alvenaria previa a criação de uma despensa, mas o casal enxergou ali a oportunidade de conquistar um escritório. Bastou dar as funções de mesa e prateleira a duas pranchas de madeira e projetar um armário superior – no vão de 80 cm se encaixa a cadeira com rodízios. 

Escolhas bem pensadas valorizam os ambientes conjugados

❚ O estar, encaixado em 4 m², exibe móveis compactos. “Elegemos um sofá de dois lugares e sem braços para abrir espaço para a mesa lateral magrinha. Por isso, investimos em pufes, que ajudam bastante quando recebemos visitas”, revela Fernando. As cores claras reforçam a luminosidade e a sensação de amplitude do apartamento. “Além disso, ficamos livres para pontuar tons vibrantes por toda decoração”, justifica o rapaz.

❚ Ao lado, o mobiliário do jantar chama atenção. Idealizado e desenhado pelo designer gráfico,  o conjunto de madeira de demolição foi executado sob medida. O tampo  de vidro da mesa confere leveza, e a parceria  do banco com as cadeiras pretas imprime um clima despojado. 

❚ Três faixas de espelho foram coladas à parede, do piso ao teto, provocando a impressão de que a área social se multiplica – a opção por uma peça inteiriça encareceria o projeto e representaria problemas na hora do transporte. 

Muita bossa e ótimas sacadas no quarto e no banheiro do casal

❚ Para valorizar a área atrás da cama, Fernando apostou em tecido estampado: garimpou o material em um centro comercial de São Paulo e, sozinho, o aplicou com cola branca diluída em água. Aparafusada por cima, a cabeceira de pínus com prateleira, feita sob encomenda, esquenta a ambientação, assim como os criados-mudos amarelos, que trazem um ar antiguinho para a decoração contemporânea. O rapaz ainda tirou proveito da parede em frente ao leito, que ganhou uma TV suspensa, além de prateleiras e ganchos.

❚ Um curinga se esconde no armário: a tábua de passar roupa mora lá dentro – instalada em trilhos telescópicos, entra e sai como se fosse uma gaveta. A proposta foi apresentada ao marceneiro, que incluiu a solução no projeto do guarda-roupa (Sidlar).

❚ Entregue pela construtora com cerâmica bege, o banheiro passou a refletir a personalidade dos donos vestindo-se com porcelanato que imita madeira e pastilhas verdes. Novamente fugindo do convencional, a bancada recortada é de madeira e não há gabinete sob a pia – nichos com rodízios, unidos por um tampo, têm função de armário. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s