Elegante e funcional

A combinação de cores e texturas garantiu o visual sóbrio e contemporâneo, em sintonia com o estilo de vida dos moradores. Mas as soluções do projeto também foram pensadas para tirar máximo proveito dos 49 m² deste apê

Procurada inicialmente para ajudar a definir os acabamentos da marcenaria, a arquiteta Karla Madrilis acabou desenvolvendo o projeto completo do imóvel – suas propostas para decorar e aproveitar o espaço encantaram o casal de moradores. O sofá marrom e o par de poltronas bege que eles já haviam encomendado, por exemplo, funcionaram como ponto de partida para Karla estabelecer a paleta neutra e terrosa. No entanto, esse trio original não foi mantido. “Não caberiam todas as peças, então ficamos apenas com o sofá e com uma das poltronas, e usamos o crédito da outra para comprar, na mesma loja, a mesa da sala de jantar”, conta a arquiteta.

Neutro, mas não monótono

• Com uma paleta de tons próximos, a arquiteta explorou diferentes materiais para criar movimento. O padrão amadeirado da marcenaria, por exemplo, compõe com o revestimento da parede – chama-se spacato e é produzido com filetes de rocha; no caso, mármore bege bahia (Marmoraria Alvorada, R$ 130 o m²). A repetição dessa dupla no estar e no jantar passa sensação de amplitude. 

• “Não havia área para uma disposição convencional de mesa e cadeiras”, diz Karla, justificando a opção pelo canto alemão. Os bancos-baú oferecem espaço de armazenamento, enquanto os futons laranja acendem a decoração.

• O casal desejava eletros pretos na cozinha e área de serviço, assim, Karla escolheu cerâmica branca (Cetim Bianco, 60 x 40 cm, Portobello Shop, R$ 57,90 o m²) para revestir as paredes e um padrão acinzentado para o acabamento da marcenaria. Esta, aliás, inclui uma minibancada de refeições – pedido dos moradores – integrada ao armário da lavanderia. Ambos têm pouca profundidade (40 cm), a fim de manter 60 cm de distância da bancada da pia, espaçamento mínimo para boa circulação.

Harmonia por todos os cantos

• O padrão dos armários da cozinha foi usado também no quarto – ele aparece na cabeceira e no móvel lateral, que acumula as funções de sapateira, aparador e criado-mudo. Do outro lado do leito, uma mesinha regulável atua como criado, trazendo uma interessante assimetria. 

• Criando unidade visual, o banheiro repete elementos de outros ambientes – o piso é o mesmo da cozinha, enquanto o mármore bege bahia da bancada é aquele das paredes da sala. O diferencial fica por conta da faixa de pastilhas de pedra atrás do vaso – sobras de outra obra da arquiteta, foram aproveitadas aqui.

Papéis revistos

• Para ganhar armários, os moradores abriram mão do banheiro da suíte, que foi convertido em closet (1). 

• Concebido inicialmente como escritório, o segundo quarto (2) se transformou em dormitório com a chegada da filha do casal.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s