Jardim vertical: 11 ideias para você copiar

Para quem gosta de plantas, até as paredes podem ser um bom local para deixar sua casa mais verde

PLANTA E COLHE, RISCA E APAGA No caso da generosa horta vertical concebida pela paisagista paulistana Gigi Botelho, plaquinhas acabariam poluindo visualmente o projeto – imagine 15 delas, uma em cada vaso! A solução da repórter visual Eliana Medina foi tingir os recipientes com esmalte fosco em um tom de verde escolar (Adel, ref. LKS 1790, da Lukscolor), transformando-os em minilousas. Assim, foi possível escrever com giz os nomes das espécies – incluindo coentro, boldo e arruda – nas próprias peças.

No caso da generosa horta vertical concebida pela paisagista paulistana Gigi Botelho, plaquinhas acabariam poluindo visualmente o projeto – imagine 15 delas, uma em cada vaso! A solução da repórter visual Eliana Medina foi tingir os recipientes com esmalte fosco em um tom de verde escolar (Adel, ref. LKS 1790, da Lukscolor), transformando-os em minilousas. Assim, foi possível escrever com giz os nomes das espécies – incluindo coentro, boldo e arruda – nas próprias peças. (LUIS GOMES/Minha Casa)

PARA FECHAR COM O VERDE Hortelã, alecrim, manjericão e outras espécies perfumam a varandinha de Monyke e Diego Peixoto, de São José dos Campos, SP. Feito à mão pelo casal, o jardim vertical tem como base um antigo portão de madeira (0,80 x 2,30 m), parafusado na parede – pinceladas de azul sobre o branco dão efeito patinado. Os vasos foram colocados em 12 prateleiras de MDF (22 x 31 cm), pintadas de cores variadas. Cada uma vai presa nas ripas do portão com a ajuda de parafusos e cordas de sisal de 60 cm. “Furamos as ripas e as prateleiras e demos nós nas pontas das cordas para impedir que escapassem”, explica Monyke.

Hortelã, alecrim, manjericão e outras espécies perfumam a varandinha de Monyke e Diego Peixoto, de São José dos Campos, SP. Feito à mão pelo casal, o jardim vertical tem como base um antigo portão de madeira (0,80 x 2,30 m), parafusado na parede – pinceladas de azul sobre o branco dão efeito patinado. Os vasos foram colocados em 12 prateleiras de MDF (22 x 31 cm), pintadas de cores variadas. Cada uma vai presa nas ripas do portão com a ajuda de parafusos e cordas de sisal de 60 cm. “Furamos as ripas e as prateleiras e demos nós nas pontas das cordas para impedir que escapassem”, explica Monyke. (TOMÁS RANGEL/Minha Casa)

UMA AULA DE ENGENHOSIDADE A fim de cultivar manjericão, hortelã e cebolinha, bem como algumas espécies de flores, na varanda do apê, a engenheira Michela Okada e o professor universitário Rogerio de Queiroz Chaves, de Goiânia, criaram um belo estrado parafusando tábuas de ipê diretamente na parede. Alguns vasinhos foram suspensos com arame, e outros, apoiados em uma prateleira presa à madeira com mãos-francesas.

A fim de cultivar manjericão, hortelã e cebolinha, bem como algumas espécies de flores, na varanda do apê, a engenheira Michela Okada e o professor universitário Rogerio de Queiroz Chaves, de Goiânia, criaram um belo estrado parafusando tábuas de ipê diretamente na parede. Alguns vasinhos foram suspensos com arame, e outros, apoiados em uma prateleira presa à madeira com mãos-francesas. (CRISTIANO BORGES/)

Na varanda do apartamento, o jardim vertical é composto de lajotas palha. “Busquei contraste com as cores das plantas que apoiaria nas prateleiras, cada uma formada por quatro tijolinhos”, conta a designer de interiores paulista Cecilia Cruz. Cortadas ao meio, as peças para revestimento, ficaram com 5,5 cm de espessura e deixam ver o rejunte frisado.

Na varanda do apartamento, o jardim vertical é composto de lajotas palha. “Busquei contraste com as cores das plantas que apoiaria nas prateleiras, cada uma formada por quatro tijolinhos”, conta a designer de interiores paulista Cecilia Cruz. Cortadas ao meio, as peças para revestimento, ficaram com 5,5 cm de espessura e deixam ver o rejunte frisado. (Kit Gaion/Minha Casa)

Aproveitar terraços estreitos, que geralmente não dispõem de mais de 1 m de largura, é um desafio e tanto, até mesmo para os profissionais. “É melhor desistir de ter uma mesa – porque fica apertado demais, nada aconchegante – e usar a área como extensão da sala”, afirma o arquiteto Glaucio Gonçalves. Em situações assim, os ambientes devem seguir o mesmo estilo decorativo e uma só paleta de cores.

Aproveitar terraços estreitos, que geralmente não dispõem de mais de 1 m de largura, é um desafio e tanto, até mesmo para os profissionais. “É melhor desistir de ter uma mesa – porque fica apertado demais, nada aconchegante – e usar a área como extensão da sala”, afirma o arquiteto Glaucio Gonçalves. Em situações assim, os ambientes devem seguir o mesmo estilo decorativo e uma só paleta de cores. (Luis Gomes/Minha Casa)

Sob a cobertura do pergolado, a arquiteta Ana Claudia Baldacci colocou uma esteira de bambu que filtra os raios solares. Impermeabilizado, o muro ganhou módulos cerâmicos, também protegidos contra umidade e, então, pintados de preto a fim de ficarem camuflados.

Sob a cobertura do pergolado, a arquiteta Ana Claudia Baldacci colocou uma esteira de bambu que filtra os raios solares. Impermeabilizado, o muro ganhou módulos cerâmicos, também protegidos contra umidade e, então, pintados de preto a fim de ficarem camuflados. (Luis Gomes/Minha Casa)

No painel de 1,24 x 1,24 m, cada meio-vaso (modelo que tem a parte de trás reta, própria para encostar na parede) vai preso por um gancho em S. As jardineiras se apoiam em suportes maiores, retilíneos.

No painel de 1,24 x 1,24 m, cada meio-vaso (modelo que tem a parte de trás reta, própria para encostar na parede) vai preso por um gancho em S. As jardineiras se apoiam em suportes maiores, retilíneos. (Paulo Santos/Minha Casa)

Um jardim vertical criativo na entrada da casa Instalada entre um pilar e a fachada, a estante de madeira cumaru funciona como uma divisória que barra parcialmente a passagem de vento sem isolar a área. feita sob medida, a estrutura deixou a temperatura do ambiente mais agradável.

Instalada entre um pilar e a fachada, a estante de madeira cumaru funciona como uma divisória que barra parcialmente a passagem de vento sem isolar a área. feita sob medida, a estrutura deixou a temperatura do ambiente mais agradável. (Lê Murata/)

Há pelo menos cinco anos as suculentas vivem numa boa junto à pia da churrasqueira da paisagista Paula Galbi, de São Paulo. “Suculentas são ótimas para quem não tem tempo: bastam água uma vez por semana e adubo a cada três meses”, explica.

Há pelo menos cinco anos as suculentas vivem numa boa junto à pia da churrasqueira da paisagista Paula Galbi, de São Paulo. “Suculentas são ótimas para quem não tem tempo: bastam água uma vez por semana e adubo a cada três meses”, explica. (Foto: Marcos Lima/)

3 formas de usar objetos inusitados como vasos03 Na estante de aço corten, o destaque são as hortaliças alocadas dentro de gavetas soltas. O projeto, Espaço de Receber da Chef de Cozinha, é dos arquitetos Marcelo Diniz, Mateus Finzeto e Deise Pucci, para a Casa Cor Franca 2017. E atenção: para não estragar a madeira, o ideal é proteger o fundo e as laterais com manta impermeável ou utilizar jardineiras menores que fiquem ocultas.

Na estante de aço corten, o destaque são as hortaliças alocadas dentro de gavetas soltas. O projeto, Espaço de Receber da Chef de Cozinha, é dos arquitetos Marcelo Diniz, Mateus Finzeto e Deise Pucci, para a Casa Cor Franca 2017. E atenção: para não estragar a madeira, o ideal é proteger o fundo e as laterais com manta impermeável ou utilizar jardineiras menores que fiquem ocultas. (Casa Decora Home/Minha Casa)

Na varanda – cinza por sorte, já que essa é a cor da fachada do prédio -, ervas frescas brotam de jardineiras: são caixotes de madeira apoiados em suportes de ferro trazidos do endereço anterior. Projeto da designer de interiores Priscila Kolberg.

Na varanda – cinza por sorte, já que essa é a cor da fachada do prédio -, ervas frescas brotam de jardineiras: são caixotes de madeira apoiados em suportes de ferro trazidos do endereço anterior. Projeto da designer de interiores Priscila Kolberg. (Alessandra Okasaki/Minha Casa)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s