10 dicas para aquecer a casa no inverno

Quando o frio chega, bate aquela vontade de se aninhar, mas será que os ambientes estão preparados para as baixas temperaturas? Confira nossas sugestões

1Invista em aquecedores
Para esquentar o clima, o mercado oferece diversos modelos portáteis, a exemplo de elétricos, a gás, a óleo e cerâmico, com opções para todos os bolsos. “Se o ambiente tiver até 10 m², aquecedores de pequeno porte, que funcionam por meio de resistência, dão conta do recado”, avisa a arquiteta Carmen Avila, de São Paulo. Outra dica para deixar a rotina mais confortável é instalar um toalheiro térmico no banheiro – ele tem a aparência de um toalheiro comum, mas é ligado na tomada.

2 Abuse dos tecidos
A dica é equipar a casa com tapetes felpudos, almofadas com pelúcia e mantinhas. “No inverno, as mantas são sempre bem-vindas tanto nas camas quanto nos sofás. Vale investir em modelos feitos à mão e compor com almofadas com capas de veludo, de algodão ou lã. Em relação aos tapetes, saiba que pelos mais altos trazem melhor sensação de acolhimento”, fala Carmen. No banheiro também vão bem os modelos acolchoados e atoalhados para um toque aconchegante.

 

Projeto da arquiteta Renata Cáfaro

Projeto da arquiteta Renata Cáfaro  (Luis Gomes/Minha Casa)

3 Faça uma vistoria
Frestas em portas e janelas fazem os ambientes perderem calor, além de facilitar a entrada do ar gelado. Portanto, procure inspecionar todas as esquadrias, vedando qualquer brecha, por menor que seja. “Controlar a ventilação é uma condição indispensável para o conforto térmico. No mercado existem produtos como fitas autoadesivas de calafetação e espumas feitas para esse fim”, diz o arquiteto Beto Monzon, do escritório paulistano RK Arquitetura & Design.

4 Mantenha as portas fechadas
Já ouviu falar em ventilação cruzada? Acontece quando o vento entra por uma abertura e sai por outra, formando uma corrente de ar. Para evitar esse desconforto no inverno, basta fechar as portas dos cômodos internos. Outra medida importante é vedar aqueles vãos de baixo das portas com protetores – as populares minhocas.

5 Siga o Sol
Os dias ensolarados do inverno são preciosos. A ideia é abrir as janelas pela manhã, deixar o ar circular pelos ambientes e, se possível, colocar edredons, cobertores e tapetes sob o sol. “A circulação do ar junto da luz solar da manhã evita a umidade e a proliferação de fungos”, lembra Beto Monzon. “Abra principalmente as janelas voltadas para o norte, que recebem maior incidência, especialmente no inverno. Já as aberturas voltadas para o sul, atingidas por sombras e ventos, devem ficar preferivelmente fechadas para evitar o resfriamento da casa”, explica Carmen. E lembre-se de sempre fechar tudo antes do pôr do sol, para que o calor fornecido pelo astro durante o dia fique retido no interior da residência quando as temperaturas caírem.

6 Aposte nas cortinas
Elas ajudam a formar uma barreira contra o vento, mas saiba que só vale a pena instalar folhas com tramas mais fechadas se o modelo for adequado também para outras épocas do ano, a exemplo de persianas rolô e romana de materiais sintéticos ou blackouts em composição com folhas de tecidos mais leves. “Abri-las durante o dia é essencial, já que o vidro permite que a luz solar aqueça os ambientes”, orienta a arquiteta Érica Salguero, de São Paulo.

7 Vista as paredes
Os revestimentos mais indicados para cobrir as alvenarias e conquistar um clima mais quente são tecido e madeira. O apelo têxtil é sempre bem-vindo e atualmente há diversos modelos de papel de parede feito de tecido adesivo, de fácil aplicação. Já os painéis amadeirados exigem mão de obra mais qualificada e podem ter custo maior.

Trabalho que inspira Projeto da designer de interiores paulistana Ana Mouawad Queiroga

Projeto da designer de interiores paulistana Ana Mouawad Queiroga (ALESSANDRO GUIMARÃES (LANAFIRMA.COM.BR)/)

8 Prepare uma cama quentinha
No frio, geralmente os primeiros minutos após nos aninharmos na cama são sofríveis, porque o calor do nosso corpo demora a aquecê-la. Mas existem truques para deixar a hora de dormir muito mais confortável. O primeiro é forrar o colchão com cobertor leve de microfibra, envelopando-o acima ou abaixo do lençol elástico. Assim se cria uma espécie de sanduíche com mantas ou cobertores mais robustos por cima. Antes de se deitar, também vale experimentar dois truques: colocar bolsas de água quente entre as cobertas para esquentar a cama ou fazer um relaxante escalda-pés para aquecer o corpo. Fora isso, desencoste a cabeceira, de preferência acolchoada, da parede fria. E capriche no enxoval: “O edredom é adequado para os dias frios porque possui um recheio que aquece o corpo e isola a temperatura externa. Por isso aconselho usá-lo acima de mantas e cobertores”, diz Carmen. “Usar capas em edredons mais pesados é importante para que possam ser lavadas com frequência”, lembra a arquiteta Marina Carvalho.

 (Luis Gomes/Minha Casa)

9 Conquiste água quente
Nada pior do que lavar a louça ou escovar os dentes na água fria durante o inverno! E se não há aquecimento central em casa, há alternativas simples e baratas: os aquecedores de passagem. Eles funcionam como um chuveiro elétrico, ou seja, são acionados quando o registro é aberto e aquecem na hora a água que chega à torneira. “Discretos, eles são instalados embaixo da pia – podem até ficar dentro do gabinete – e pedem apenas um ponto de energia próprio”, explica Érica. Mas atenção: “Verifique antes se sua rede elétrica está segura e se está preparada para suportar esse equipamento, para que não haja sobrecarga”, complementa Carmen.

10 Tire proveito do fogo
Ele traz aconchego e existem formas seguras de utilizá-lo. Que tal acender algumas velas no ambiente? O clima fica mais aconchegante e romântico. Só fique atento ao local onde acenderá – cuide para que estejam sempre protegidas e afastadas de tecidos e materiais inflamáveis. Opções mais eficientes para esquentar o cômodo são as lareiras. “As portáteis que funcionam com álcool são práticas porque não demandam obra, podem ser usadas em casas e apartamentos, além de serem ecologicamente corretas”, sugere Beto Monzon. “Isso porque o fluido de etanol, à base de cereais, é um combustível de fonte renovável e com baixa emissão de carbono”, explica Carmen. “Já o modelo a gás, também eficiente, exige uma tubulação específica no local”, alerta Marina.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s